Estações de Tratamentos de Efluentes Sanitários

  1. Página inicial

MG Fibras

Estações de Tratamentos de Efluentes Sanitários

ALTERNATIVAS SIMPLIFICADAS PARA O TRATAMENTO DE ESGOTOS

•Sistemas não mecanizados e mecanizados;
•Sistemas de fácil operação e de baixo custo;
•Sistemas com baixa produção de lodo.

RAFA/UASB - Reator Anaeróbio Manta de Lodo de Fluxo Ascendente (upflow anarobic sludge blanket), modelo de tanque cilíndrico. Fabricado em PRFV – Poliéster Reforçado em Fibra de Vidro, com paredes de 6 a 8 mm e revestido interno e externamente em Gel. Apresenta em sua estrutura tubulações de entrada e saída de efluente, tampa de Inspeção e tubulação para retirada de lodo. No seu interior tem instalado um separador trifásico, onde é separado o sólido líquido e gasoso. RAFA/ UASB tem maior remoção de DBO, como etapa de tratamento primário,

Capacidade de Fabricação e Dimensões:

Profundidades = 4 a 6 metros conforme norma;
Ø de 2,50 e 3,20m;
Menor capacidade de 22,00 m³ Ø= 2,50 x h=4,00m;
Maior capacidade de 52,27m³ Ø= 3,20 x h=6,00m.

Aplicação

Sistemas compactos para tratamento de efluentes sanitários domésticos e redução da matéria orgânica, e sólidos suspensos.

Funcionamento

O fluxo do efluente é ascendente, onde o esgoto afluente entra pela parte superior do reator e é distribuído uniformemente na parte inferior, no leito de fundo, onde se processa a digestão anaeróbia. Ascende preenchendo toda a câmara do reator e verte para a calha coletora. Neste trajeto, parte da matéria orgânica permanece na zona de lodo, acontecendo à digestão e a estabilização. Na parte superior do reator está instalado o Separador Trifásico, dispositivo destinado à sedimentação de sólidos e à separação das fases, sólido – líquido – gasoso. Esse dispositivo é de fundamental importância, pois é responsável pelo retorno do lodo e consequentemente, pela garantia do tempo de detenção celular do processo. Sistema com baixa produção de lodo. Baixo requisito de área, nenhuma demanda por equipamentos para aeração.

Contato Whatsapp